Você realmente quer saber o que aconteceu com a mãe do Zuko?

wsm

Traduzido por: Eduardo Guerra

the search

A primeira parte de The Search foi lançada nas lojas de quadrinhos hoje e deve lançar nas demais lojas dentro de duas semanas. E assim começa a história de 3 partes que responde a pergunta que os fãs têm há anos – “O que aconteceu com a mãe do Zuko?”

Eu não consigo contar o número de vezes que me perguntaram isso, porque foram muitas vezes.

Enquanto trabalhávamos com o Livro 1 de Korra, Bryan e eu surgimos com a ideia um filme animado de TV sobre a busca pela mãe do Zuko para a Nickelodeon. Eles não estavam interessados em filmes animados, e escolheram fazer o Livro 2 de Korra ao invés. (E sim, ainda estamos trabalhando nele.) Ao mesmo tempo, a Dark Horse queria publicar histórias de lado B sobre Aang e Zuko, então começamos a trabalhar com o escritor Gene Yang para desenvolver novas aventuras. Decidimos não fazer The Search como a primeira trilogia, mas sabíamos que os quadrinhos eram um ótimo lugar para, finalmente, contar a história. Ano passado, conversei com Gene Yang sobre algumas ideias, e ele levou essas ideias para outro nível, o que inspirou alguns outros acontecimentos da história. Foi um trabalho colaborativo e Gene fez um trabalho incrível com os scripts. Estou orgulhoso dos livros e acho que faz jus à história de Zuko e Ursa.

Bryan sempre diz aos fãs que podem me culpar por fazê-los esperar por uma resposta, por isso tenho que assumir a responsabilidade. Quando escrevemos o final de Avatar: a Lenda de Aang, tínhamos muito o que pôr na história, que eu achei que seria mais intrigante deixar a história da mãe do Zuko sem solução. Isso implica em que a história dos não tinha terminado, que a vida dos personagens continuaria, mesmo que a série tenha terminado. Além disso, eu achei que a história fosse cheia de possibilidades, que um simples desfecho não iria satisfazer.

Eu não sabia se teríamos a chance de contar a história, mas eu estava bem deixando essa pergunta na mente dos telespectadores. Eu achava isso meio intrigante.

Mas eu nunca pensei o quanto essa questão seria importante para as pessoas, quanto que ainda estou sendo perguntado sobre a mãe do Zuko depois de 4 anos. Mas agora eu tenho uma ideia do porquê.

Em The Storytelling Animal, Jonathan Gottschall escreve: “A mente de contar histórias é alérgica a incerteza, aleatoriedade e coincidência. É viciada em significados”. Ter deixado a mãe do Zuko como uma incerteza, criou uma ansiedade em pessoas que estavam à procura da certeza e do encerramento. Nós temos a necessidade de encontrar um significado nas histórias, e essa discussão pendente ficou como uma pulga atrás da orelha.

Então, eu sinto muito que você não pode tirar essa coceira nos últimos quase 4 anos e meio. Agora você pode. O mistério será resolvido. E garanto a vocês, no final da parte 3 haverá uma resposta para “o que aconteceu com a mãe do Zuko?”, e isso me deixa nervoso.

Ela pode, possivelmente, viver de acordo com as histórias que os fãs imaginaram nos últimos 5 anos? Duvido.

Isso me faz pensar nas nossas expectativas para algumas histórias em particular. Alguns livros e filmes são tão sensacionalistas, de modo antecipado, que nunca corresponde às nossas expectativas. Agora, eu não estou dizendo que essa história é tão grande como Harry Potter, mas no nosso pequeno reino do universo Avatar, é algo muito aguardado.

Lembram-se de Lost? Como todo mundo estava chateado porque eles queriam respostas para todos os mistérios levantados? Eles deixaram um monte de pulgas atrás da orelha para os que assistiam. Eu sei que estou em minoria aqui, mas eu fiquei muito satisfeito com a forma que a série terminou, apesar dos mistérios não resolvidos. Honestamente, eu realmente não me importo que nunca vou saber a verdade sobre a estátua de três dedos. Não era esse o foco do programa. O importante era explicar o que essa experiência significou para os personagens. E isso é o que eu me lembro.

Isso é tudo que tenho a dizer, espero que vocês gostem de The Search e que acabe a agonia sobre a história.

O que você achou? Deixe um comentário!

Você pode gostar...