Entrevista com os Criadores sobre o Livro 2 e 3

O site Speakyeasy conversou novamente com os criadores de Korra, Bryan Konietzko e Mike DiMartino sobre o que nos espera para o Livro 3: “Mudança”.

O artigo que se segue é a tradução da entrevista.

Em uma entrevista prévia Bryan afirmou que o nome “Mudança” tem suas raízes na filosofia oriental.

Bryan e Mike.

Bryan e Mike.

Speakeasy: Eu pedi aos fãs que twitassem algumas perguntas para nós. Essa pergunta esteve na mente de muitos espectadores. Nós vamos descobrir o que houve entre o Zuko e o Time Avatar? Ou sobre a mãe dele?

DiMartino: Minha resposta é que há os quadrinhos publicados pela Dark Horse onde essa história já foi contada, as pessoas podem ler e descobrir o que houve. Nos quadrinhos há varias histórias sobre Aang depois do show.

S: Também há um interesse contínuo sobre a vida amorosa de Korra, nós veremos isso se desenvolvendo?

Konietzko: Parece que as pessoas não estão interessadas nisso. Eles ficam irritados quando nós nos divertimos com romance adolescente. Eu não sei. Eu vou deixar isso de lado.

S: Parece estranho que algumas pessoas estejam interessadas na vida amorosa de um personagem de desenho, mas alguns parecem realmente se importar.

K: Essa é minha teoria: fãs estão mais interessados em imaginar romance entre uma miríade de pares. Mas eles estão profundamente desinteressados em ver alguns desses manifestos no show. Quem sabe, whatever. Mike e eu como escritores fizemos como achávamos que seria puro entretenimento. Agradou alguns, outros nem tanto.

S: Como vocês lidam com as críticas de que Korra não é como A:TLA?

D: Nós queríamos evoluir e fazer as coisas um pouco diferentes. Eu acho engraçado, porque as pessoas dizem coisas como “Avatar foi a melhor série de animação criada na história!” O que é incrível, e eu amo. Mas em 5-8 anos as pessoas vão dizer “Korra era incrível!” Acho que o tempo melhora tudo.

K: Enquanto nós estávamos no meio de Avatar nós recebíamos muitas críticas voláteis dos fãs. Eles estavam muito chateados como estávamos direcionando o Zuko. Enquanto eles estavam na história, enquanto ainda estava tudo se desdobrando, haviam muitas pessoas tristes. Mas como o Mike disse, anos depois, enquanto encontrávamos pessoas e elas continuavam a descobrir a série e as que haviam visto criaram uma conexão profunda, toda essa irritação sumiu… Para mim é como uma banda. Eles lançam um álbum e você ama, e eles lançam outro e você talvez goste mais desse, você pode gostar da mesma forma ou você pode gostar menos. Eu prefiro ser um álbum diferente do que um ensaio do primeiro.

S: Um dos momentos que mais chocou as pessoas no Livro 2 “Espíritos” foi quando Korra perdeu a conexão com suas vidas passadas. Vocês podem falar sobre? É algo que vocês planejam explorar?

D: Ao final de todas as temporadas nós tentamos manter um grande momento, que seja como um sacrifício, que vai ter um impacto enorme sobre nossos personagens. Especialmente Korra. Nós pensamos que esse seria um daqueles momentos que poderíamos coloca-la num lugar bem escuro onde ela está realmente sozinha. Ela não tem mais as suas vidas passadas, ela não tem mais Raava, ela não tem mais o seu espírito avatar consigo, e o que ela vai fazer quando encarar isso? E também pareceu que toda a jornada de Korra era um caminho espiritual e sobre descobrir quem ela realmente é e pareceu que ela não poderia mais contar com os avatares anteriores porque eles não estão mais lá. É uma chance para ela criar seu próprio futuro e destino.

S: Onde o show vai além do Livro 2 e no –ainda-em-trabalho-Livro 3?

K: Nós anunciamos os Livros 3 e 4. E nós praticamente acabamos a escrita do 4. O Livro 4 é o fim da série Korra, então nós temos 52 episódios planejados. Quando tudo estiver feito e dito vão ter sido necessários, eu acredito, 5 anos para termos feito tudo. Assim como quando Avatar terminou, Mike e u precisamos recarregar nossas baterias e trabalhar em outras coisas. Nós não temos outra série planejada, definitivamente. Mas eu acredito que o universo que nós criamos 11 anos atrás sempre nos suga de volta através dos anos, e eu ainda acredito que seja um lugar inspirador para criar novas histórias. Mas nós estamos realmente ocupados em terminar esses episódios planejados e não estamos tentado descobrir o próximo passo nesse mundo ainda.

S: Eu conversei com o criador de Game of Thrones R. R. Martin alguns anos atrás e ele me contou que os leitores sempre querem o próximo livro o mais rápido possível. Vocês sentem esse tipo de pressão?

K: Embora nos custe algum tempo para fazer a nossa série, não é tanto quanto os livros de Martin. Ele está sozinho. Nós temos um time, pessoas que nos ajudam. Com o Livro 2 não foi como se tivéssemos parados de trabalhar e tiramos umas férias. Nós nunca paramos de trabalhar nele. Houveram algumas dificuldades de produção que não puderem ser previstas, muitas que tivemos que passar por cima e atravessar. Animação é muito difícil. Assim como fazer uma saga literária de fantasia. Nós estamos fazendo o mais rápido que podemos… É reconfortante saber que as pessoas tem essa fome por nosso mundo., o que nós criamos. E ao mesmo tempo você gostaria que eles apreciassem o quanto você está trabalhando duro e quanto tempo toma. É engraçado porque eles liberaram o final uma semana antes e único comentário que eu vi online foi “Ótimo, mas quando sai o Livro 3?” Mas eu entendi.Minha esposa diz a mesma quando há o season finale de Game of Thrones na HBO. Agora ela quer saber quando a próxima temporada sai. Acho que é a resposta humana natural, nós temos que dar de ombros.

S: Vocês acham que o seu trabalho é melhor apreciado quando assistido de uma vez só, ou semana a semana? Ou vocês são agnósticos acerca de como as pessoas assistem?

K: Eu desisti de pensar em como seria o melhor jeito que a série deve ir ao ar. A TV está mudando muito. O jeito como as pessoas assistem TV está mudando muito. Acho que eu e Mike ficamos felizes quando nós simplesmente conseguimos colocar lá.

D: Eu consigo entender como ver uma temporada toda de uma vez, como no Netflix, pode trazer um benefício, porque você vê a história toda num relativo curto espaço de tempo ao invés de esperar semana por semana pelos episódios. Eu faço a mesma coisa, se eu descubro uma série que tem todos os episódios online eu não demoro uma semana para ver os episódios. Eu entendo.

K: Quando (“House of Cards”) foi anunciada e “Arrested Development” foi liberada, toda a temporada, em um dia, eu suei frio. Como um produtor eu sei que quando colocamos um show no ar nós temos que ter o suficiente. Nós temos que ter o suficiente finalizado para pormos no ar em espaços regulares de tempo. As vezes nós temos um episódio finalizado, mas ainda precisamos terminar 12 deles, ou algo parecido… Nós temos que terminar o suficiente para botá-los no ar. Então quando eu vejo que uma temporada inteira saiu – normalmente são séries live-action, porque a agenda de produção deles é muito mais rápida – eu fico “Ah cara, isso vai mudar as expectativas de todo mundo.” Agora eles vão esperar isso, é um pouco desencorajador. Nosso final, nós entregamos no dia anterior ao que foi online.

D: Nós estamos trabalhando no limite.

S: Nós vamos ver mais do Avatar das trevas?

D: Provavelmente não, Korra derrotou ele, então…

S: Vocês podem nos contar um pouco sobre o Livro 3 sem dar spoilers?

D: Não, de verdade não. As pessoas vão ver mais o Bumi. Vai ter muito Bumi no Livro 3.

Confira essa e outras entrevistas no Mundo Avatar

O que você achou? Deixe um comentário!

Você pode gostar...