Liberada prévia de Rebel Genius

Rebel Genius_coverHoje pela manhã, a revista americana Entertainment Weekly liberou uma prévia exclusiva do novo projeto pessoal de Mike DiMartino – Rebel Genius. O co-criador de Avatar: a Lenda de Aang e A Lenda de Korra já havia anunciado a nova série de livros, que será lançada em Outubro, alguns meses atrás. Você pode conferir mais informações aqui.

Giacomo é um garoto de 12 anos que vive em um mundo onde arte é ilegal. Cada artista possui um criatura chamada Genius, que contém o espírito criativo de cada um. Se você por pego com um Genius, você provavelmente será morto – e quando Giacomo percebe que tem um, seus problemas estão apenas começando.

Confira a seguir um trecho do primeiro capítulo e a capa do Volume 1:

Rebel Genius, por Mike Dimartino
Capítulo 1: Desenhar

Giacomo se afastou do palácio e se aproximou de um prédio de três andares com janelas cobertas por tábuas. Ele se enfiou entre as portas acorrentadas e deslizou para dentro. Então ligou sua lanterna, lançando uma leve brilho através da sala cavernosa, e caminhou pelas portas e cadeiras quebradas, levantando nuvens de poeira a cada passo. Abandonado há tempos, o espaço sediara um centro cultural e estúdio de artistas. Ele gostava de se imaginar chegando para as aulas com alunos correndo para todos os lados pelos corredores.

Por todo um dos lados do corredor principal, havia pintura aquarela, rachada e desbotada. Como todas as vezes que visitara, Giacomo assoprou a poeira da plaqueta de bronze embutida ao lado na parede.

GÊNIOS DE ZIZZOLA

Encomendado pelo Imperador Callist, em honra ao nosso grandes homens, mulheres e Gênios que trouxeram beleza para luz através da arte, musica, escrita, teatro e dança.

Gravado embaixo estava o nome do artista: Pietro Vasari

Alguns anos atrás, quando Giacomo tropeçou em seu quarto pela primeira vez, foi como se ele tivesse descoberto uma caverna de tesouros escondidos. Ele encontrou uma pilha de cadernos de rascunhos e suprimentos de desenho em um cabinete trancado, esquecido por muito tempo. E o mural se transformou em sua principal fonte de inspiração. Cada cena era uma chance de estudar a figura humana em poses diferentes, vestindo roupas variadas, de todas as idades, de bebes a casais curvados de idosos. Teria Pietro conhecido essas pessas? Será que elas estiveram nesse quarto e posaram para esse mural? Apesar de o artista ter morrido, – de acordo com rumores da Suprema Criadora- estudar suas pinturas era quase tão bom quanto ser um aprendiz de um artista de verdade. Ele encontrou uma vinheta familiar, uma que sempre trouxe consolo: uma jovem menina, provavelmente de três ou quatro anos, esticando-se em direção ao seu Gênio. As asas da pequena criatura se espalharam como se tivessem acabado de flutuar do céu para encontrá-la. Próximos dela, sua mãe e seu pai sorridentes se abraçavam, agradecidos pela chegada do Gênio da filha, o qual se tornaria sua musa e guardião. Antes de Nerezza proibir que artistas tivessem Gênios, esse tipo de cena, apesar de não ser comum para todas as crianças, seria celebrada. Mas agora, se um Gênio voasse em para a vida de uma criança, seria morte certa para os dois.

Giacomo deu alguns passos à frente, estudou o mural de perto, e começou a desenhar a menina. Depois de alguns minutos ele pausou, comparando seu trabalho com o do mural. Ele esfregou seus olhos, frustrado. Como que suas figuras sempre pareciam rígidos e estranhos, enquanto os da pintura pareciam sair dela? Pietro capturou gestos vivos e expressões naturais com apenas alguns pigmentos e reboco molhado; e fez parecer fácil.

Giacomo muitas vezes se perguntava o porque a Criadora Suprema permitiu que o mural sobrevivesse. Afinal, ela eliminou os Gênios e tirou da cidade qualquer obra de arte que não fosse dela. Será que ela secretamente admirava o trabalho de Pietro? Ou será que tavez porque o pai dela encomendou o mural, ela não teve coragem de pintar por cima dele? É, aham, pensou Giacomo. Como se a Criadora Suprema tivesse um coração.

Giacomo estava dando os toques finais nas penas do Gênio, quando ele se alarmou com o chocalho de uma corrente de metal. Ele derrubou o seu carvão e se virou, na expectativa que um soldado fosse sair das sombras. Ninguém veio.

Assustado, Giacomo guardou seus materiais e pegou sua lanterna, e, correu em direção às portas.

Mas o caminho estava obstruído.

Na frente dele estava a silhueta de uma figura curvada. Imóvel.

Ele segurou a respiração e recuou.

A silhueta se se moveu mais perto, complicado. Era uma mulher.Cabelo cinza fosco suspensos em cordas selvagens, cobrindo quase toda a cara.

Uma alma perdida.

Fonte

O que você achou? Deixe um comentário!

Eduardo Guerra

22 anos, estudante universitário de Design Gráfico e Mídias de Entretenimento. Nascido em Campinas, SP, atualmente mora na cidade de Gold Coast, na Austrália. Adora livros, música e cinema. No site, atua como administrador geral, atualizando o portal sempre que possível e organizando as áreas específicas para a satisfação dos membros.

Você pode gostar...