Site oficial apresenta personagens de “Rebel Genius”

geniuses 2

Geniuses é o primeiro projeto de Mike DiMartino após sua participação como diretor de Avatar e Korra. Rebel Genius será o primeiro de três volumes que comporão essa série de livros infanto-juvenil, e tem seu lançamento marcado para o dia 5 de Outubro. Você pode ler mais sobre isso aqui. Como forma de divulgação, a cada dia da San Diego Comic Con, a página oficial da série na internet libera novas informações sobre os personagens principais da saga. Confira a seguir:

No mundo de estilo renascentista onde vive Giacomo, um garoto de 12 anos, arte é poderosa, perigosa e proibida. Alguns artistas possuem um Genius, criaturas semelhantes a pássaros que são a personificação do espírito criativo de cada artista. Aqueles que foram vistos com as criaturas, enfrentaram uma punição tão ruim quanto a morte, então quando Giacomo descobre que tem um Genius, sabe que está em uma enrascada.

Felizmente, ele encontra um local seguro; um estúdio secreto onde jovens artistas e seus Genius se unem para usar suas energias criativas como armas. Mas quando um artista criminoso vai atrás de três Ferramentas Secretas – objetos que o permitiriam destruir o mundo e todos em seu caminho – Giacomo e seus amigos precisam arriscar suas vidas para detê-lo.

GIACOMO

RG_GiacomoGiacomo segurou gentilmente o pedaço de carvão com as mãos e o passou de leve no papel. Linhas leves circularam a página suja, escurecendo-a na forma oval de sua cabeça. Ele adicionou uma sombra, esculpindo seu queixo redondo, depois ele foi para suas grossas sobrancelhas, seguidas pelas suas narinas e seu nariz bulboso. Depois de não muito tempo, seu rosto surgiu. Enquanto ele desenhava, ele usou rápidas pinceladas para construir seu cabelo, que acabou terminou em ondas esfarrapadas em seus ombros. Com a ponta do dedo, ele esfregou mais carvão debaixo de seu lábio inferior, do lado de seu nariz e debaixo de suas sobrancelhas para dar mais dimensão ás suas feições. Giacomo pausou e examinou seu último esforço. Ele balançou a cabeça e suspirou. Nesses últimos anos, ele teria enchido cadernos e cadernos de esboço com autorretratos, mas jamais estava satisfeito com os resultados. O garoto que o encarava de volta através das páginas sempre parecia um estranho.

Para o toque final, ele cercou seu retrato com traços pretos, mas ele pressionou muito forte e seu último pedaço de carvão se despedaçou. Giacomo gemeu e fechou seu caderno de esboços violentamente. Hora de reabastecer.

AAMINAH

RG_AaminahAaminah se ajoelhou e pegou o braço ferido de Giacomo com suas pequenas mãos. “Deixe-me ver.” Ela inspecionou o corte e depois tirou de seu casaco uma flauta de madeira. “Apenas relaxe.”

“Não estou com humor para música,” disse Giacomo. O arranhão ardeu, mas não foi muito doloroso. O Gênio de Giacomo voou para ele, sua asa esquerda estava rasgada pelas garras de Nero.

“Ela vai tratar das feridas,” explicou Milena.

O Gênio de Aaminah pousou atrás da mão de Giacomo. Ele se assustou.

“Tá tudo bem. Luna é um doce.” Aaminah trouxe a flauta para os seus lábios e soprou gentilmente através do bocal. Um tom baixo encheu o tubo. A gema circular de Luna brilhou com uma cor amarela. Em cada nota ascendente, ondas de luz pulsaram da coroa, lavando as feridas de Giacomo e de seu Gênio.

Parecia que a música estava entrando em seu braço e vibrando nele, amenizando sua dor e acalmando seus nervos exaustos. O sangramento parou e o corte se selou, deixando apenas uma leve mancha vermelha. As abas rasgadas das asas de seu Gênio também se curaram. Será que foi assim que sua ferida de ontem teria se curado? Ele não se lembra de ter ouvido música alguma, apenas o rugido daquela tempestade maluca.

MILENA

RG_Milena“Gênios são criaturas misteriosas, como você já deve ter descoberto,” Baldassare disse. “Raros poucos possuem a habilidade de sentir um ao outro. Acredita-se que eles emitem algum tipo de sinal em vibração através do ar para se comunicar. Outros acham que tem alguma coisa a ver com a conexão emocional entre o artista e o Gênio, porém ninguém sabe ao certo.”

“Um dia o Gênio de Aaminah será tão poderoso quanto,” Milena disse, soando como uma irmã mais velha orgulhosa.

“Talvez,” Aaminah disse incerta. “Agora Luna pode apenas sentir um Gênio se ele estiver muito perto. Ela sentiu a trilha do seu Gênio assim que entramos nos aquedutos.”

Então foi assim que me encontraram. Mas assim que essa questão foi respondida, outra surgiu na cabeça de Giacomo: “O que acontece se um membro do Conselho dos Dez decidir aparecer? Vocês todos se escondem no porão?”

“Nossos Gênios se escondem,” disse Milena. “Mas a gente conhece qualquer um que visite. Signor Barrolo nos apresenta como seus filhos adotados.”

“Mas e você?” Disse Baldassare, se inclinando para frente. “Como um garoto como você acabou vivendo nos esgotos debaixo da cidade?”

UGALINO

RG_UgalinoUgalino assoviou e uma enorme criatura com penas mergulhou vindo do céu. Zanobius pulou para trás ao lembrar o que era aquela criatura – O Gênio de Ugalino, sua companhia bem antes de Zanobius. Sua mente estava atormentada, tentando lembrar o nome dele.

“Ciro, para mim,” Ugalino saudou.

Claro, Ciro. Ele sabia disso.

O Gênio bateu suas asas e pousou, levantando poeira. Quando abaixou sua cabeça, Zanobius reparou sua reflexão nas costas dele. Olhos sem vida. Ugalino agarrou na ponta da coroa manchada de Ciro e se ergueu até o pescoço da criatura.

Zanobius escalou logo atrás seu mestre. “Aconteceu outra vez.”

“Outro apagão?”

“Eles parecem estar acontecendo mais frequentemente”

Ugalino se torceu para encara-lo. “Mas você ainda se lembra de quem você é?”

“Sim”

“E quem eu sou?”

“Você é o meu mestre. Você me criou.”

“E qual é a nossa missão?”

“Encontrar as Ferramentas Sagradas do Criador.”

ZANOBIUS

RG_ZanobiusOs últimos dias foram obscuros. Houve uma luta, Zanobius vagamente lembrou-se. Mas a memória do que havia acontecido se esvaiu.

Esta não era a primeira vez que ele havia acordado em um lugar diferente com poucas pistas de como ele havia chegado lá ou que tempo do dia aquele era. Ele se sentia como um bote pego em uma tempestade, jogado para cima e para baixo enquanto ele lutava para chegar à praia. Ele aprendeu a temer os apagões.

Uma capa cinza escura cobria seus braços e sua perna, e um capuz cobria parte de seus olhos. “Uma precaução”, ele vagamente se lembrou de seu mestre lhe dizendo isto. “É melhor eles não saberem quem você é”. Mas se aquela conversa havia acontecido alguns minutos atrás, ou até mesmo algumas horas, ele não sabia.

Fibras de lã arranhavam seu pescoço, suas costas e seus braços. Ele queria rasgar o capuz e deixar sua pele respirar. O que importava se as pessoas soubessem quem ele era? O mestre tinha vergonha dele?

Tradução de Bianca Takahashi

e Túlio Mumic Cunha

O que você achou? Deixe um comentário!

Eduardo Guerra

22 anos, estudante universitário de Design Gráfico e Mídias de Entretenimento. Nascido em Campinas, SP, atualmente mora na cidade de Gold Coast, na Austrália. Adora livros, música e cinema. No site, atua como administrador geral, atualizando o portal sempre que possível e organizando as áreas específicas para a satisfação dos membros.

Você pode gostar...