Entrevista: Irene Koh, ilustradora dos quadrinhos de “Korra”

O portal scififantasynetwork.com fez uma entrevista com Irene Koh, a ilustradora da continuação em quadrinhos de A Lenda de Korra! Confira abaixo :

Irene Koh

SFFN: Para quem ainda não sabe, você pode nos contar um pouco de como conseguiu o trabalho nos quadrinhos de Korra?

IK: Eu tenho brincado a anos de que eu seria perfeita para os quadrinhos por ser artista marcial, asiática, bissexual e ávida fã de Avatar. Depois que Brittney Williams largou o projeto, ele foi oferecido a uma amiga minha, e ela me recomendou no lugar.

Eu desenhei algumas páginas de teste, e aqui estou eu, quase terminando de desenhar a Parte Dois.

SFFN: Houveram muitos artistas que trabalharam tanto em Avatar como em Korra, você tem algum favorito que inspirou seu próprio estilo?

IK: As pessoas da equipe de arte-chave (ou, pelo menos, as pessoas cujo trabalho posso encontrar prontamente na Internet) foram ótimas de se observar. Não necessariamente por causa do estilo, já que me pediram para desenhar o quadrinho em meu próprio estilo, mas para o movimento.

As pessoas de animação têm uma maneira totalmente diferente de se aproximar do movimento e da atuação do personagem, e há muitos truques ótimos que eu escolhi apenas estudando seu trabalho. Especificamente, olhei para o trabalho de Steve Ahn para a ação, e as caras impressionantes e expressivas de Ki Hyun Ryu.

SFFN: Animação e desenho ainda são disciplinas diferentes, quais tipos de mudanças você faz ao tirar algo da tela para página?

IK: Conheço muito pouco sobre a animação em si e tenho ainda menos experiência fazendo isso, mas tenho treinamento formal em arte cinematográfica e arte de quadrinhos, respectivamente, e definitivamente há diferenças. Ele se manifesta às vezes em meus projetos de layout contra o que Mike e Bryan gostariam de ver na página (embora, na maioria das vezes, me deixem fazer minhas coisas de composição).

Como um pequeno exemplo, os quadrinhos podem ter formatos/painéis verticais, o que não é algo que a animação pode necessariamente desempenhar da mesma maneira. É muito mais sobre o fluxo geral da página do que os momentos individuais. Além disso, pode ser mais difícil de mostrar um movimento de dobra de elemento sem o movimento completo mostrado, então eu tenho que encontrar formas de implicar/descrever a direção, efeito e impacto da ação de combate.

SFFN: Como você mantém o espírito e o fluxo do original, ao mesmo tempo que lhe dá seu próprio estilo único?

IK: Se eu amo algo, é porque eu sou boa em destilar porquê é bom, que partes disso são feitas habilmente, coisas que eu admiro e gostaria de imitar no meu próprio trabalho.

No caso de coisas como Avatar e Korra, é uma mistura de ação, humor e expressividade de caráter incrível, e a luta viva e realista (menos, você sabe, os elementos). Nenhuma dessas coisas exige um tipo específico de estilo de arte para fazer, apenas entender e o bom e velho trabalho duro.

Eu acho que também foi extremamente útil que eu tenha mais de 10 anos de experiência em artes marciais, particularmente kickboxing e judô, que constantemente formam a ação. Quando há algo específico que Bryan quer em uma cena de luta, eu posso entender sua língua.

SFFN: Quão envolvido os criadores – Mike DiMartino e Bryan Konietzko – entraram no processo? Como é trabalhar com eles?

IK: É um processo profundamente colaborativo; Recebo notas bastante extensas de ambos os criadores, além de notas da Nickelodeon. As notas de Mike tendem a ser menos focadas na arte e mais a ver se eu estou expressando seu roteiro corretamente.

As notas de Bryan são todas técnicas, corrigindo minha arte onde é pouco firme e similares. Eles são fantásticos para trabalhar junto – concisos com sua visão, mas também abertos para feedback e sugestões. Eles dão à minha arte muito espaço para respirar, o que eu agradeço, e me deixam projetar novos personagens.

Apenas em suas críticas, eu me posicionei imensamente desde o início do trabalho.

SFFN: Korra foi diferente de outros quadrinhos em que você trabalhou?

IK: Definitivamente, é o maior em que trabalhei desde a entrada em quadrinhos. Eu apenas fiz curtas ou mensais até agora, por isso ser encarregada de 72 páginas de cada vez era bastante assustador no início(e honestamente, ainda é).

A quantidade de notas que recebi para as minhas páginas também foi uma primeira, embora seja uma bênção. Além disso, é o maior IP em que pus as mãos, e definitivamente sinto o suporte(e a pressão) do fandom.

SFFN: Quando você percebeu que ser um artista profissional era algo que você queria?

IK: Eu acho que nunca foi uma realização ou uma escolha consciente. Eu estive desenhando sem parar por tanto tempo quanto eu consigo lembrar! Eu costumava ter problemas para desenhar na mesa de jantar.

Sempre fui uma pessoa muito decisiva e motivada, mesmo quando era criança e, na sétima série, uma professora de arte me contou sobre a Rhode Island School of Design. Aos doze anos eu decidi que era onde eu iria fazer a faculdade. (Eu fiz.)

SFFN: Você volta a olhar suas obras anteriores? Como você mudou como artista? (Atitude, técnica, ética de trabalho, etc.?)

IK: Eu realmente não me demoro no trabalho antigo porque ainda estou em um ponto em que estou melhorando rapidamente, então, mesmo alguns dias depois de tirar algo, eu olho para trás com desprezo porque eu já aprendi algo novo Naquele tempo, haha.

Temticamente, meu trabalho tende a permanecer o mesmo: eu me concentro muito na intimidade, em todas as suas formas e expressões. Gostaria de pensar que estou melhorando em desenhar esses momentos! Neste ponto, tenho toda a coisa freelancer de trabalho de casa, solidamente, na medida em que sei que horas de trabalho são melhores para mim e o que não forçar(decididamente não sou uma pessoa da manhã); Quando e com que frequência fazer pausas; E ficando melhor em apenas processar tarefas.

Eu tendo a não chafurdar mais em “bloqueios de arte”, já que eu realmente não tenho escolha.

SFFN: Algum conselho para pessoas que querem entrar em ilustração e quadrinhos? Qual é a melhor forma de as pessoas conseguirem o seu talento no mercado?

IK: Postei isso no meu blog recentemente, e mantenho:

1 – Faça-os sozinhos. A Internet tornou tão fácil de se notar/pagar pelo trabalho que você faz sozinho, então aproveite! Não abandone o seu dia de trabalho para quadrinhos, a menos que você saiba que tem uma boa quantidade de estabilidade financeira, ou um pé de meia.

2 – Quadrinhos são um exercício muito intenso de gerenciamento do tempo. Não há como você pode colocar 100% em cada página como uma única ilustração; Você nunca cumprirá os horários padrão. Você só poderá colocar entre 60 e 70% do seu verdadeiro potencial – o truque é fazer com que seus 60-70% sejam realmente bons.

3 – Finalizar algo e colocá-lo lá para que as pessoas vejam é tanto uma habilidade para cultivar e aprimorar como desenho, colorido, composição, etc. Dê prazos e tente encontrá-los e tente compartilhar seu trabalho. A crítica dos pares é como você melhora, e também como você constrói a confiança.

4 – Tenha uma presença de mídia social e publique arte de forma consistente, e não espere ou se sinta com direito a qualquer tipo de amizade instantânea ou atenção mútua. Para mim pessoalmente, o Twitter é como eu conheci colegas, empregadores, amigos e fui inspirada pelo trabalho de outras pessoas.

5 – Não se desculpe ou fale com desprezo pelo seu trabalho, mesmo se você notar falhas. A chance é que a maioria das pessoas não percebeu isso, ou eles não prejudicaram a própria peça para valer a pena comentar. Isso também sai como pouco profissional.

6 – Não se venda a baixo do preço. Aqui estão as informações da Taxa de página justa: https://fairpagerates.com/

SFFN: Além de Korra, sobre o que você está trabalhando? Quaisquer grandes projetos nos trabalhos?

IK: Eu serei parte do último livro Spera de Josh Tierney, juntamente com uma incrível lista de outros artistas, e então vou trabalhar com minhas próprias coisas originais. No meu núcleo, sou contadora de histórias, e tenho minhas próprias histórias que gostaria de compartilhar.

SFFN: Onde as pessoas podem encontrá-lo online? Redes sociais, etc.?

Twitter: @kohquette
Tumblr: http://prom-knight.tumblr.com
Website: http://koh.money

O que você achou? Deixe um comentário!

Marcelo Ganen

Formado em Administração, atua como redator no site, e cdc e moderador do Mundo Avatar no Facebook.

Você pode gostar...